Arquivo

Posts Tagged ‘Tóquio’

Oferta de empregos no Japão: maior índice em 43 anos

Há setores com escassez de trabalhadores, especialmente relacionadas à indústria automobilística
oferta de vagas
O índice de oferta de vagas de emprego subiu 0,2% em relação ao mês anterior, mas teve uma alta significativa na história. De acordo com a divulgação feita pelo Ministério da Saúde, Trabalho e Bem Estar, o índice foi de 1,51. Ou seja, há muito mais oferta de vagas do que procura.

Esse índice é o maior em 43 anos e 4 meses. O último registrado foi de 1,53 em 1974. Como sempre a comparação recai com o período da bolha econômica, quando havia fartura de vagas, o país pode comemorar o feito.

As províncias que mais necessitam de mão de obra são Fukui (2,09), Tóquio (2,08) e Ishikawa (1,92).

Por outro lado, as 3 províncias que apresentaram os menores índices foram Hokkaido (1,08), Kochi (1,13) e Kanagawa (1,16). No entanto, o índice foi acima de 1 em todas as províncias, anunciou o Nikkei Shimbun.

Aumento de ofertas e queda de desemprego
Houve aumento na oferta de novas vagas em relação à mesma época do ano anterior, em 6,3%. Os setores que mais necessitam contratar são:

  • Indústria da transformação: 14,2%
  • Transporte e entrega de mercadoria: 11,1%
  • Construção civil: 7,6%

De acordo com o boletim do ministério, “vendo a partir de que o setor produtivo relacionado à indústria automotiva está favorável, o número de ofertas de vagas continua em crescimento. O ambiente para as contratações está melhorando e progredindo firmemente”, ressaltou.

Segundo a TBS, o Ministério dos Assuntos Internos e Comunicações anunciou que o relatório da empregabilidade apresentou 03,% de queda no desemprego, no mês passado. Atualmente, o índice é de 2,8%.
Fonte: Portal Mie com NHK, TBS e Nikkei Shimbun

Sony fechará centro em Tóquio para reduzir custos

Empresa planeja reduzir sua força mundial de trabalho em 10 mil pessoas até 31 de março

Sony TokyoA Sony planeja fechar suas operações em um edifício de escritório em Tóquio que abriga oito por cento de seu pessoal no Japão, uma das primeiras decisões concretas do conglomerado de eletrônica e entretenimento quanto a um corte de quatro mil funcionários.

A decisão, que é parte de uma reestruturação que vem sendo implementada pelo presidente-executivo Kazuo Hirai, não havia sido anunciada previamente.

A Sony fechará o Centro de Tecnologia Shinagawa, um edifício de 31 pavimentos que ocupa desde que foi inaugurado em 1998, informou um porta-voz da empresa à Reuters. Os 4,8 mil funcionários que lá trabalham serão transferidos a outros locais.

A decisão, que deve ser implementada até setembro do ano que vem, tem por objetivo reduzir custos e facilitar o realinhamento dos negócios da Sony, segundo o porta-voz.

A Sony planeja reduzir sua força mundial de trabalho em 10 mil pessoas até 31 de março, e os cortes incluiriam quase 4 mil trabalhadores no Japão.

A companhia anunciou na semana passada que as demissões incluiriam um corte de 20 por cento no pessoal de sua sede por meio de um programa de aposentadoria antecipada, e o fechamento de uma fábrica em Gifu, Japão, que produz lentes para câmeras e celulares.

O edifício Shinagawa, que fica bem perto da sede da companhia, é propriedade da Nippon Steel Kowa Real Estate, Sumitomo Life Insurance e Obayashi.

Ao transferir pessoal para instalações de mais baixo custo, como seu complexo de edifícios em Atsugi, no subúrbio de Tóquio, a Sony antecipa poder cortar seus custos, ainda que não tenha informado como isso aconteceria. A companhia vai anunciar resultados trimestrais em 1º de novembro.

"A decisão pode propiciar economia significativa para a Sony", disse Fred Takahashi, diretor-executivo da imobiliária CBRE Japan.

A Sony concluiu a venda de sua divisão química a um banco estatal em setembro, o que reduziu seu quadro de funcionários em 1,8 mil pessoas.

Hirai prometeu que recuperaria a empresa adotando como foco os jogos, imagens digitais e aparelhos móveis, e ingressando em novos setores como o de equipamentos médicos.

As ações da Sony caíram em 43 por cento desde que Hirai assumiu a presidência.
Fonte: Exame com Reuters

Categorias:Sony Tags: