Arquivo

Archive for the ‘trabalhadores estrangeiros’ Category

Aumento de cuidadores estrangeiros em Shizuoka

Há 183 instituição de cuidados com idosos na província que empregam trabalhadores estrangeiros e vem aumentando

cuidador de idoso
O governo da província de Shizuoka realizou uma pesquisa nas instituições de cuidados com os idosos. O resultado apontou aumento do número de trabalhadores estrangeiros nos 183 locais.

De acordo com a divulgação, na terça-feira (25), são 326 estrangeiros, o maior número desde que começaram as contratações dessa mão de obra.

O aumento foi de 49 pessoas em relação ao ano anterior. O maior número é de filipinos com 133, seguido do Brasil com 61, Peru com 52, China com 28, Coreia do Sul com 15, Indonésia com 11, Vietnã com 10 e de outros países são 11.

A receptividade dos usuários dos serviços dos estrangeiros é boa, com índice de 79% de satisfação.

Por outro lado ainda há desafios a serem superados como a compreensão do kanji por parte dos trabalhadores estrangeiros.

A pesquisa também levantou que as instituições que ainda não contrataram estrangeiros, mas que pretendem fazê-lo, aumentou. As que apontaram possibilidade somam 38.
Fonte: Portal Mie com Portal Worlds

Anúncios

Novos trabalhadores estrangeiros: governo quer começar com 8 países

O governo anunciou que pretende iniciar a liberação da entrada dos trabalhadores estrangeiros de 8 países e coibir os maus agentes

plantacao de arroz
Diante da aprovação da revisão da Lei de Controle de Imigração o governo irá permitir a entrada de novos trabalhadores estrangeiros, inicialmente, dos países asiáticos.

Irá implementar o teste de proficiência do idioma japonês em 8 países, sendo que apenas um ainda não está definido. O conhecimento básico do idioma é um dos pré-requisitos para qualificar o candidato.

Os países escolhidos são Indonésia, Camboja, Tailândia, China, Filipinas, Vietnã e Myanmar. Deverá começar pelos vistos de habilidades específicas (特定技能).

Como é do conhecimento do governo, existem agentes e intermediários que agem de má fé no encaminhamento de estagiários técnicos.

Visa troca de informações com os governos dos países de origem dos trabalhadores para criar um mecanismo de não aceitação quando tiver a figura desses agentes.
Fonte: Portal Mie com Asahi e JNN

Governo japonês valida projeto para receber mais trabalhadores estrangeiros

trabalho no japao

O governo japonês validou nesta sexta-feira um projeto de lei que autoriza a entrada de mais trabalhadores estrangeiros no país, uma decisão controversa que pretende combater parcialmente a escassez de mão de obra.

O programa inédito permitiria a entrada de trabalhadores menos qualificados em setores como alimentação, construção e atendimento de pessoas, que sofrem com a falta de funcionários.

O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, quer a entrada em vigor do novo dispositivo em 2019.

O governo prevê a criação de um novo tipo de visto que permitirá o acesso ao país dos imigrantes com menos qualificações que as exigidas habitualmente. O documento autorizaria o trabalho durante cinco anos.

Existirão duas subcategorias e as pessoas que cumprirem as condições mais exigentes (em termos de competência profissional e conhecimento do idioma japonês) poderão solicitar a reunificação familiar e obter um visto permanente.

A política imigratória do país “não muda”, insistiu Abe, que deseja tranquilizar a população, que teme uma entrada em massa de estrangeiros em um país bastante fechado.

O Japão só aceitará trabalhadores estrangeiros que tenham “competências particulares e possam trabalhar imediatamente para responder à importante falta de mão de obra e unicamente nos setores que realmente necessitam”, afirmou Abe.

O setor empresarial pede há muito tempo uma abertura maior aos estrangeiros, mas o Executivo avança com cuidado, para não irritar os nacionalistas, que representam uma importante base de apoio popular ao Partido Liberal Democrata (PLD), que governa o país.

Porém, tanto no PLD como na oposição existe uma preocupação sobre a falta de precisão do texto (por exemplo a respeito do número desejado de pessoas estrangeiras) e o déficit de preparação da população japonesa e de dispositivos de acompanhamento.

De acordo com estatísticas oficiais, em 2017 o Japão tinha 1,28 milhão de trabalhadores estrangeiros para uma população de 128 milhões de habitantes. Mais de um terço deles (459.000 pessoas) são cônjuges de japoneses, sul-coreanos que moram há muito tempo no Japão e que mantêm a nacionalidade de origem ou descendentes de nacionalidade estrangeira de japoneses que emigraram.

Em setembro, o índice de desemprego era de 2,3% da população ativa, um dos menores níveis em 25 anos.
Fonte: IstoÉ com AFP

Brasileiros empregados em Mie são maioria dos trabalhadores estrangeiros

A estatística mostra que o número total de empregados estrangeiros atingiu o máximo desde 2007. E novas contratações ainda são necessárias.brasileiros em mieEm meio à falta de mão de obra também na província de Mie, obteve-se o registro máximo de trabalhadores estrangeiros, chegando a 24.220 pessoas em outubro do ano passado.

Os estagiários técnicos vindos dos países do sudeste asiático fazem parte dos 30% da fatia dessa mão de obra, segundo a Secretaria de Trabalho de Mie.

Pela primeira vez, desde 2007, o número de empresas e indústrias empregadoras ultrapassou a marca dos 3 mil, chegando a 3.039.

Por origem dos trabalhadores os brasileiros são maioria.

  • 6.701 brasileiros
  • 4.888 chineses
  • 3.604 filipinos
  • 3.361 vietnamitas
  • 1.556 peruanos
  • 533 nepaleses
  • 161 coreanos
  • 3.380 de diversas origens

Empregados diretos e por empreiteira
A escassez de mão de obra está nas indústrias de manufatura, como a dos automóveis. A proporção efetiva de oferta de emprego é tão alta quanto ao período da bolha econômica, analisou a secretaria.

A maioria dos trabalhadores estrangeiros (55%) está empregada nas indústrias de transformação. Uma boa parte (34%) é encaminhada para essas empresas através das empreiteiras, pelo haken ou ukeoi.

A previsão da secretaria é de continuar aumentando as contratações de trabalhadores estrangeiros na província.
Fonte: Portal Mie com Chunichi

Setor hoteleiro pressiona Japão a liberar entrada de trabalhadores estrangeiros

“Não temos mão de obra suficiente”, disse o presidente da Associação Japonesa City Hotel

hotel
O aumento dos turistas estrangeiros no Japão está sobrecarregando a indústria hoteleira do país, que não tem mão de obra suficiente para prestar um serviço adequado aos visitantes.

Para discutir o problema considerado como emergencial, representantes do setor, incluindo redes de hotéis e as tradicionais pousadas japonesas (ryokan), reuniram-se em uma conferência realizada na terça-feira (11).

No encontro, autoridades do setor de turismo concordaram que a contratação de estrangeiros é a melhor solução para suprir a falta de mão de obra. No entanto, para isto ocorrer, será preciso que o governo libere vistos simples de trabalho para não japoneses.

Atualmente, a maior parte dos estrangeiros não recebe autorização de permanência para serviços gerais ou de meio período. Com exceção dos descendentes e do programa de estágios, o visto é garantido apenas aos estrangeiros com curso superior e com contrato efetivo.

Desta forma, a indústria hoteleira possui poucas opções para suprir a falta de mão de obra e os únicos estrangeiros que podem trabalhar nos hotéis são aqueles que já possuem autorização de permanência por outros motivos.

Atualmente, há tantas vagas disponíveis e baixa procura que alguns hotéis estão tendo que recusar novos hóspedes mesmo com quartos vazios, pois o número de trabalhadores não cumpre a demanda.

De acordo com uma reportagem da emissora NHK, o setor hoteleiro do país irá levar a questão às autoridades do governo japonês e pedir que a liberação dos vistos aos estrangeiros seja analisada com urgência.

O presidente da Associação Japonesa City Hotel, Mafumi Kobayashi, disse que os representantes da indústria irão trabalhar firmemente neste objetivo. “Não temos mão de obra suficiente para exercer atividades primárias nos hotéis, como a limpeza dos quartos. Iremos lutar com todo o setor para que o país aceite a mão de obra estrangeira”, comentou.

O vice-presidente da Associação de Hotéis do Japão, Yasuhiro Shimura, também afirmou com convicção que a área precisa urgentemente de trabalhadores de outras nacionalidades.

“A mão de obra poderá baixar ainda mais a partir de agora. Permitir a permanência de estrangeiros para esta finalidade é viável não apenas para suprir a mão de obra, mas também para aumentar a qualidade do serviço prestado aos turistas”, afirmou.

No mês passado, autoridades do governo se reuniram para discutir melhorias no estilo de trabalho do país. A questão dos estrangeiros também está na pauta junto com outros temas, como a reforma no sistema de horas extras. A expectativa é que o governo inicie reuniões em breve para discutir o assunto.
Fonte: Alternativa

Contrariando o governo, empresas japonesas querem mais trabalhadores estrangeiros pouco qualificados

obras-trabalhadores-japaoUma pesquisa realizada pela agência de notícias Reuters revelou que cerca de três quartos das empresas japonesas apoiam uma maior abertura do país para trabalhadores estrangeiros pouco qualificados, como parte da solução para lidar com o problema da escassez de profissionais.

A falta de trabalhadores, especialmente nas áreas da construção civil, agricultura e cuidados de enfermagem, está dificultando a recuperação econômica do país, que sofre com o rápido envelhecimento da população e com a queda da taxa de natalidade.

Contrariando a vontade das empresas, o governo do primeiro-ministro Shinzo Abe está relutante em abrir o país para trabalhadores com menor grau de qualificação, os mais escassos mercado, atualmente.

A pesquisa corporativa da Reuters, realizada no início do mês, mostrou que 76% da empresas japonesas são a favor de mais mão de obra estrangeira pouco qualificada, na presunção de que os trabalhadores seriam tratados de forma justa em termos de benefícios trabalhistas.
Fonte: IPC Digital com Reuters
www.shigoto.com.br
visto, emprego, turismo e passagem para o japão

Plano do governo japonês prevê entrada de mais trabalhadores estrangeiros

‘É chegada a hora’ de aceitar mais estrangeiros, incluindo trabalhadores não qualificados, diz documento

trabalhador estrangeiro no JapãoUm plano de controle de imigração a longo prazo, compilado pelo Ministério da Justiça e divulgado nesta terça-feira, aponta para a necessidade do Japão considerar o acolhimento de um leque maior de estrangeiros, inclusive para efetuar trabalho não qualificado, sem deixar de incentivar a entrada de pessoas com conhecimentos especializados.

Contra um cenário alarmante sobre a escassez de mão de obra devido a um declínio populacional e uma crescente demanda de trabalho na preparação dos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020, o ministério vai além do que foi proposto em 2010 em um projeto para expandir a imigração.

O plano básico de política de imigração – o quinto desde o original em 1992 – também inclui uma nova categoria para o reconhecimento de refugiados, enquanto visualiza mais medidas para impedir que terroristas consigam entrar no país.

O mais recente plano do ministério estabelece medidas de imigração e condições de residência de cidadãos estrangeiros nos próximos cinco anos.

Atualmente, os estrangeiros podem requerer permissão de residência no Japão em 27 categorias, tais como atividades diplomáticas, artes e estudo, em linha com o controle de imigração e o direito de reconhecimento de refugiados.

Para o emprego em serviços médicos, educação e outros campos especializados, tais como a indústria de tecnologia, o estatuto de residência é concedido por um período de até cinco anos, com possibilidade de renovação.

Por enquanto, o novo plano do governo apela para um maior esforço na aceitação de trabalhadores que cuidam de idosos. O governo introduziu uma mudança para atualizar a lei de imigração, fornecendo autorização a estrangeiros neste campo.

Ao aceitar trabalhadores com conhecimentos e competências especializadas, o ministério diz que vai "responder apropriadamente quando surgirem novas necessidades" e vai "considerar a partir de uma ampla gama de perspectivas" acomodar estrangeiros que não se encaixam nas categorias existentes.

O plano acrescenta que "é chegada a hora" de aceitar mais estrangeiros de forma geral, incluindo os trabalhadores não qualificados.
Fonte: Alternativa
www.shigoto.com.br
visto, emprego, turismo e passagem para o japão