Arquivo

Archive for the ‘governo japonês’ Category

Japão aprova projeto de reforma trabalhista que penaliza empresas com excesso de horas extras

Proposta visa melhorias no estilo de trabalho e será votada no Parlamento

reforma trabalhista
O governo japonês aprovou na manhã desta sexta-feira (6) um projeto de lei relacionado à reforma trabalhista que visa efetuar melhorias no estilo de trabalho, informou a agência de notícias Jiji Press.

A ideia é criar um sistema de penalidades para jornadas de trabalho excessivas, se houver cumprimento de horas extras acima do limite permitido por lei.

O projeto também consiste em garantir tratamento igual para trabalhadores efetivos e temporários, inclusive na questão salarial.

Outra proposta é criar um Sistema de Profissionais de Alto Nível, focado nos trabalhadores de alta qualificação, que ganham renda superior a ¥10 milhões ao ano (sem contar horas extras).

Este sistema permitiria que esses trabalhadores exerçam suas atividades de forma livre, sem necessidade de cumprir uma carga horária mínima por dia. No entanto, eles não seriam pagos por horas extras, trabalho no período noturno ou em feriados. A única obrigação das empresas seria garantir pelo menos quatro dias de folga no mês.

A oposição criticou esta proposta, alegando que este sistema poderá “induzir” o abuso de trabalho, que tem como consequência depressão, morte por jornadas excessivas (karoushi) ou suicídio. A partir de agora, o assunto deverá ser foco de discussões entre representantes do governo e da oposição no Parlamento.

O projeto pretende ainda estabelecer o limite máximo de 100 horas extras por mês ou de 720 horas extras por ano, de acordo com o tipo de trabalho, com penalidade no caso de não cumprimento da lei.

A atual legislação de trabalho também impõe limites de horas extras, mas pode haver exceções se a empresa estiver precisando aumentar a produção, desde que haja acordo com os funcionários.

O governo do primeiro-ministro Shinzo Abe, que visa a aprovação do projeto de lei até 20 de junho, considera a reforma dos estilos de trabalho como sua agenda mais importante nas atuais deliberações do Parlamento.
Fonte: Alternativa

Anúncios

Economia japonesa cresce 2,2%, mas perspectiva ainda é fraca

Leitura preliminar do PIB traduziu-se em expansão de 0,5% no terceiro trimestre

japan-economia
A economia do Japão superou as expectativas entre julho e setembro, expandindo-se pelo terceiro trimestre consecutivo com as exportações mais fortes, mas a fraca atividade doméstica põe em dúvida as esperanças de recuperação sustentável.

Dados governamentais ressaltaram recuperação econômica potencialmente frágil, dependente de exportações, assim como a vitória do republicano Donald Trump nas eleições presidenciais dos Estados Unidos aumentou a incerteza sobre as perspectivas econômicas globais.

O Produto Interno Bruto (PIB) do país cresceu 2,2 por cento no terceiro trimestre em base anualizada, mais rápido do que o aumento de 0,9 por cento esperado pelos mercados, depois do avanço de 0,7 por cento entre abril e junho. Foi o terceiro trimestre consecutivo de expansão.

“As exportações se recuperaram, mas o consumo privado e as despesas de capital estão fracos. A economia não está tão forte”, disse Hidenobu Tokuda, economista sênior do Mizuho Research Institute.

“Há riscos da China e das políticas comerciais da Trump”, disse Tokuda, ecoando as preocupações dos políticos.

A leitura preliminar do PIB traduziu-se em expansão trimestral de 0,5 por cento no terceiro trimestre, contra ganho de 0,2 por cento esperado pelos economistas.

A demanda externa –ou exportações menos importações– somou 0,5 ponto percentual ao PIB, devido ao salto nas exportações sobre o trimestre anterior e à queda das importações causada pelos ganhos do iene, pela queda do preço do petróleo e pela fraca demanda interna.
Fonte: Alternativa

Carros no Japão serão obrigados a ter faróis que acendem sozinhos antes de escurecer

Governo estuda medida como estratégia para reduzir o número de acidentes

faróis que acendem sozinhosPara reduzir o número de acidentes de trânsito no horário do pôr do sol, o Ministério da Terra, Infraestrutura, Transporte e Turismo deve obrigar fabricantes de automóveis a instalar faróis automáticos nos veículos novos, informou o jornal Mainichi nesta quarta-feira (13).

O Ministério irá discutir o assunto com outras esferas do governo japonês na Assembleia de Medidas Políticas para Trânsito, que será realizada na próxima terça-feira (19). Na reunião, serão discutidos os critérios para a iluminação automática e quando essa medida deve entrar em vigor.

Após a conclusão do assunto, os critérios de segurança da Lei de Tráfego de Veículos serão reformulados de acordo com as novas determinações. A princípio, a medida deve valer apenas para veículos novos de quatro rodas.

Os faróis automáticos, conhecidos como “auto light”, funcionam através de um sensor que detecta a iluminação do local. Os faróis acendem quando a iluminação está baixa e apagam em momentos de muita claridade, sem necessidade do comando manual do motorista.

Em 2011, a União Europeia (EU) implantou a medida obrigatória aos veículos novos no continente. Porém, de acordo com a Federação Automobilística do Japão (JAF), apenas 30% dos veículos no país tinham essa opção em agosto de 2014.

Acidentes no pôr do sol
Dados da Agência Nacional de Polícia mostram que 4.113 pessoas morreram em acidentes de trânsito no ano de 2014 no Japão. Deste número, 535 mortes teriam ocorrido entre uma hora antes e uma depois do pôr do sol.

Segundo o Instituto de Pesquisa e Análise de Dados de Acidentes de Trânsito, localizado em Tóquio, houve 40 casos de acidentes ocorridos na última hora antes do pôr do sol. Em 33 casos (80% do total), os veículos estavam com os faróis apagados.

Entre as 535 mortes, 213 ocorreram no período de outono-inverno, entre outubro e dezembro de 2014. Além disso, outros dados mostraram que 80% das vítimas tinham mais de 65 anos de idade. “No inverno o sol se põe mais rápido e os idosos saem mais para passear”, analisou um representante do Ministério.

Pesquisa sobre faróis
Ainda em 2014, a JAF realizou uma pesquisa sobre faróis com 44.910 veículos em todo o Japão. De acordo com os resultados, apenas 0,9% dos motoristas ligava os faróis 30 minutos antes do pôr do sol, que é o horário indicado para aumentar a segurança na direção.

Os dados mostraram também que 22,8% dos veículos estariam com os faróis acesos cinco minutos antes do pôr do sol. De 10 a 15 minutos após o pôr do sol, a prática ocorreria em 72,7% dos automóveis.

No mesmo período, a JAF também realizou uma enquete com motoristas e obteve 2.098 respostas. Do total, 56,8% dos entrevistados afirmaram que só ligavam os faróis depois do pôr do sol. Estar enxergando o caminho sem dificuldades foi uma das principais justificativas ditas pelos motoristas para o atraso no uso da luz.
Fonte: Alternativa

Japão perderá 7,9 milhões de trabalhadores nos próximos 15 anos

envelhecimento no JapãoSe os esforços do governo – para promover uma maior participação dos idosos e das mulheres no mercado de trabalho – falharem, o número de trabalhadores no Japão deverá diminuir em 7,9 milhões até 2030, de acordo com estimativas do Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar.

As estimativas, divulgadas nesta terça-feira (24), mostraram que todas as 47 províncias japonesas enfrentarão um declínio da força de trabalho e queda na taxa de natalidade. De acordo com o ministério, o envelhecimento populacional deverá agravar ainda mais o problema da diminuição do número de pessoas economicamente ativas.

Em 8 províncias, a taxa de declínio da força de trabalho será superior a 20%, incluindo Akita, Aomori e Kochi. Em Tóquio, Kanagawa e Aichi, o declínio da força de trabalho será inferior a 10%, segundo o ministério.

O governo estima que a população total do Japão deverá diminuir em cerca de 10 milhões, até 2030.

Por setor, a industria de transformação (fábricas, etc) deverá perder 1,3 milhões de trabalhadores nos próximos 15 anos. O setor varejista (lojas, serviços, etc), deverá perder 2,53 milhões de trabalhadores.

No entanto, o governo estima que o número de trabalhadores do setor de cuidados médios e serviços de saúde deverá aumentar em 1,63 milhões.
Fonte: IPC Digital
www.shigoto.com.br
visto, emprego, turismo e passagem para o japão

Governo do Japão diz que média salarial subiu pelo segundo mês consecutivo em agosto; veja os números

salario-japaoA média salarial real, ajustada pela inflação, cresceu em agosto pelo segundo mês consecutivo no comparativo ano-a-ano, de acordo com estatísticas preliminares divulgadas nesta segunda-feira pelo Ministério do Trabalho.

Em agosto, os salários ajustados pela inflação cresceram 0,2%, e os salários nominais tiveram um ganho de 0,5%, atingindo a média de ¥272,382 por trabalhador, informou o ministério. Em julho, o aumento de 0,3% foi revisto para 0,5%, marcando o primeiro aumento em mais de dois anos

O salário-base* em agosto aumentou 0,5%, para ¥239.714, enquanto o número de horas extras trabalhadas cresceu 1,5%, e as gratificações especiais subiram 0,6%.

*Salário-base é o valor médio dos pisos salariais das principais categorias.
Fonte: IPC Digital

Governo do Japão quer facilitar licença maternidade para trabalhadoras não efetivas

gravidez no JapãoO Ministério do Trabalho do Japão informou que considera revisar a lei trabalhista para que trabalhadoras não efetivas tirem a licença maternidade com mais facilidade.

De acordo com uma pesquisa do governo, 43,1% das trabalhadoras efetivas que tiraram licença maternidade foram capazes de retornar ao trabalho após dar a luz ao seu primeiro filho entre os anos de 2005 e 2009. No mesmo período, apenas 4% das trabalhadoras temporárias beneficiadas com a licença maternidade retornaram para o mesmo emprego.

Um painel de especialistas aconselhou o governo a revisar a lei trabalhista, alegando que o sistema atual “não está atendendo as demandas das mulheres”. Em resposta, ministério disse que planeja iniciar o esboço da revisão ainda este ano.

A lei que garante a licença maternidade entrou em vigor em 1992, mas se aplicava somente aos empregados efetivos (seishain). Em 2005 o governo estendeu o benefício para todas as categorias de trabalhadores, mas era concedido apenas para as trabalhadoras que, contratualmente, estariam empregadas até um ano após o nascimento.

Segundo o governo, tais condições tendem a excluir as trabalhadoras com contrato de trabalho mais curto.
Fonte: IPC Digital
www.shigoto.com.br
visto, emprego, turismo e passagem para o japão

Abe promete melhores condições de trabalho para as mulheres

Shinzo Abe JapanO primeiro-ministro Shinzo Abe afirmou neste domingo (26) que quer reformar as condições de trabalho no Japão para tornar mais fácil a participação ativa das mulheres em várias áreas, informou a NHK.

Em uma uma conferência internacional com mulheres de negócios em Tokyo, Abe declarou que as longas horas de trabalho estão desencorajando a população feminina a obter empregos em vários setores. Segundo o premier, no caso do Japão, a carga horária deve ser diminuída para resolver a questão do declínio populacional.

As empresas que promovem equilíbrio entre a vida e o trabalho de seus funcionários incentivando-os a tirar férias remuneradas teriam tratamento preferencial para os contratos com o governo. Abe indicou que o tema do reforço do papel das mulheres na sociedade será um item importante na agenda da reunião de líderes do G7 que acontecerá em 2016 na província de Mie.
Fonte: IPC Digital
www.shigoto.com.br
visto, emprego, turismo e passagem para o japão