Falta de mão de obra afeta funcionamento 24 horas de lojas de conveniência

Algumas operadoras de lojas de conveniência estão superando a falta de pessoas para trabalhar ao promover a automatização de certas operações em algumas filiaisfamily martGrandes operadoras de lojas conveniência japonesas continuam abrindo novas unidades enquanto enfrentam dificuldades para manter o funcionamento 24 horas em meio a uma crescente escassez de mão de obra no Japão.

Algumas operadoras de lojas de conveniência estão superando a falta de pessoas para trabalhar, incluindo a de funcionários de meio período, ao promover a automatização de certas operações de lojas.

Contudo, uma das operadoras iniciou o fechamento de algumas lojas até altas horas da noite quando o fluxo de clientes é baixo.

Em meio à crescente competição no mercado, a maneira que cada operadora de loja de conveniência lida com a escassez de funcionários pode refletir em seus diferentes estilos de gerenciamento, dizem especialistas.

A FamilyMart Co., experimentou o fechamento de algumas de suas lojas nacionais altas horas da noite ou trocou para operações com base em máquinas de venda automática.

O presidente da rede, Takashi Sawada, disse que as operações 24 horas não são necessárias em algumas lojas.
Fonte: Portal Mie com Jiji

Anúncios

Toyota e Panasonic irão desenvolver baterias para veículos elétricos

Montadora quer acrescentar carros elétricos a sua linha de produtos
toyota e panasonic
As japonesas Panasonic e Toyota Motor disseram na quarta-feira que vão considerar o desenvolvimento conjunto de baterias para veículos elétricos .

O movimento pode ajudar a Panasonic a estender sua liderança como a maior fabricante de baterias automotivas de íons de lítio do mundo.

O anúncio se soma a um acordo existentes sob o qual a Panasonic produz baterias para os veículos híbridos da Toyota.

A Toyota disse no ano passado que estava planejando acrescentar veículos totalmente elétricos a sua linha de produtos – uma mudança estratégica em relação a sua posição prévia, de que veículos com células de combustível e híbridos plug in eram as tecnologias mais sensatas para tornar os carros mais ecológicos.
Fonte: Alternativa com Reuters

Japonesa Nikon deixará de vender câmeras e equipamentos no Brasil

A empresa disse que o movimento faz parte de uma reestruturação global
nikon
A fabricante japonesa de câmeras e equipamentos fotográficos Nikon anunciou nesta segunda-feira (6) que deixará de vender seus produtos no Brasil a partir de 31 de dezembro.

A companhia, que atualmente comercializa apenas por meio de seu e-commerce no país, disse em comunicado que o movimento faz parte de uma reestruturação global.

“A Nikon Corporation está otimizando as estruturas de Pesquisa e Desenvolvimento (R&D), Vendas e Fabricação em uma reestruturação em escala global. Como parte deste processo, a Nikon do Brasil (…) encerrará a venda de câmeras, lentes e acessórios fotográficos para o mercado brasileiro”, disse a empresa em nota divulgada em seu site.

No entanto, serão mantidos os serviços de assistência ao cliente, disse a empresa

“Os demais segmentos de negócios da empresa, incluindo atendimento ao consumidor e assistência técnica, continuarão operando normalmente no Brasil”, disse a Nikon.

Em outubro, a companhia anunciou redução de 1 por cento nas vendas entre abril e setembro, para 340 bilhões de ienes, além do fechamento das operações da unidade Nikon Imaging na China.
Fonte: Alternativa com Reuters

Toyota e Honda confirmam segurança de alguns produtos da Kobe Steel

As investigações realizadas pelas montadoras seguem a revelação da Kobe Steel de que dados de inspeção sobre um grande número de produtos foram falsificados
kobe steel
Montadoras japonesa confirmaram o uso de produtos da Kobe Steel afetados pelos dados falsos de inspeção, mas disseram que não encontraram problemas de segurança até agora.

A Toyota Motor Corp. e a Honda Motor Corp. emitiram declarações no final da quinta-feira (19) descrevendo descobertas preliminares de verificações de materiais e peças da Kobe Steel. A mídia japonesa citou que oficiais de outras montadoras fizeram anúncios similares.

As investigações realizadas pelas montadoras, fabricantes de aeronaves e outros clientes da Kobe Steel seguem a revelação da empresa de que dados de inspeção sobre um grande número de produtos foram falsificados ou manipulados. A extensão do problema não está clara porque a Kobe Steel não identificou os clientes afetados pelo nome e ainda está investigando o problema.

Problema pode ter persistido por mais de uma década
No entanto, ela disse que dados sobre placas de alumínio, tubos e moldes de cobre e fios-máquina de aço usados em pneus e motores de veículos estão entre os produtos cujos dados não corresponderam às especificações ou eram falsos ou insuficientes. O problema pode ter persistido por mais de uma década, divulgou a mídia japonesa, citando ex-funcionários da Kobe Steel, sem identificá-los.

A Toyota disse em uma declaração que havia confirmado que placas de alumínio da Kobe Steel usadas em capôs, portas traseiras e outros componentes de seus veículos atenderam as exigências para resistência e durabilidade com base em dados da empresa que estava “bem além das especificações da Toyota.”

A Toyota disse que ainda estava investigando os produtos de alumínio da Kobe Steel.

Já a Honda disse que os painéis de alumínio eram os únicos produtos comprados diretamente da Kobe Steel. A empresa descobriu que todos eles atenderam aos seus padrões de segurança e que ainda estava investigando outras peças obtidas através de fornecedoras.

Muitos clientes da Kobe Steel disseram que estão verificando o problema. Até agora, nenhum deles confirmou qualquer risco específico de segurança. Contudo, no início desta semana, a Agência de Segurança de Aviação Europeia recomendou às empresas que suspendessem o uso de produtos da Kobe Steel quando possível enquanto elas revisam suas redes de fornecimento para identificar “peças suspeitas não aprovadas” da empresa que podem ter sido usadas.
Fonte: Portal Mie com Reuters

Empresa de entregas Yamato contratará 10.000 novos funcionários

Ao longo de 3 anos, a empresa vai contratar 10.000 novos funcionários
Yamato

A Yamato Holdings Co., um grupo de serviço japonês de entrega de encomendas, disse na quinta-feira (28) que vai contratar 10.000 novos funcionários, incluindo motoristas com experiência em entregas noturnas movimentadas, ao longo de 3 anos.

A ação faz parte de medidas designadas a melhorar as condições de trabalho de motoristas, as quais deterioraram nos últimos anos devido ao aumento das necessidades de entrega aumentando com a expansão de compras online.

As medidas também incluem o aumento da proporção de recebimento de encomendas em locais além das casas de clientes, da atual pouca porcentagem para 10%.

No ano fiscal de 2016, a Yamato Holdings realizou a entrega de um recorde de 1.868 bilhão de encomendas.

A empresa planeja reduzir o número para 1.77 bilhão até o ano fiscal de 2018 através de medidas que incluem o aumento de tarifas de entrega.

Grande parte dos 1.000 clientes corporativos aceitaram os aumentos das tarifas de entrega, disse o presidente da Yamato Holdings, Masaki Yamauchi, em uma conferência de imprensa.

A Yamato Holdings vai introduzir um sistema para refletir os custos voláteis, incluindo aqueles de combustível e mão de obra, nas taxas de entrega.
Fonte: Portal Mie com Japan Times, Jiji

Japão adota diretrizes para reduzir horas extras nos setores da construção e transporte

Os trabalhadores nos 2 setores trabalham horas mais longas em comparação a outros em meio à grave escassez de mão de obra

construçãocivil
Na segunda-feira (28), o governo adotou diretrizes que visam lidar com as longas horas de trabalho nas indústrias da construção e transporte, divulgou a reportagem do Jiji Press.

Trabalhadores nos 2 setores trabalham horas mais longas em comparação a outros em meio à grave escassez de mão de obra.

As diretrizes pedem às empresas de construção que garantam 2 dias de folga por semana para os trabalhadores.

Para a indústria de transportes, as regras buscam penalidades administrativas mais rigorosas, incluindo ordens de suspensão de negócios mais longas, sobre operadoras que fazem motoristas trabalharem longas horas ilegalmente.

As diretrizes também pedem por apoio das empresas de transporte que visam mecanizar suas operações, incluindo a introdução de empilhadeiras para carregamento e descarregamento de carga, em um esforço para ajudar a reduzir as horas de trabalho.

“Esse é o primeiro passo para corrigir as longas horas de trabalho” nas 2 indústrias, disse o vice- secretário chefe do gabinete Kotaro Nogami sobre as diretrizes.

O governo japonês impôs um limite de 100 horas por mês em um plano de ação para sua reforma de estilo de trabalho adotada em março. Para as indústrias da construção e do transporte foram dados 5 anos para implementar o plano.
Fonte: Portal Mie com Japan Times, Jiji

Oferta de empregos no Japão: maior índice em 43 anos

Há setores com escassez de trabalhadores, especialmente relacionadas à indústria automobilística
oferta de vagas
O índice de oferta de vagas de emprego subiu 0,2% em relação ao mês anterior, mas teve uma alta significativa na história. De acordo com a divulgação feita pelo Ministério da Saúde, Trabalho e Bem Estar, o índice foi de 1,51. Ou seja, há muito mais oferta de vagas do que procura.

Esse índice é o maior em 43 anos e 4 meses. O último registrado foi de 1,53 em 1974. Como sempre a comparação recai com o período da bolha econômica, quando havia fartura de vagas, o país pode comemorar o feito.

As províncias que mais necessitam de mão de obra são Fukui (2,09), Tóquio (2,08) e Ishikawa (1,92).

Por outro lado, as 3 províncias que apresentaram os menores índices foram Hokkaido (1,08), Kochi (1,13) e Kanagawa (1,16). No entanto, o índice foi acima de 1 em todas as províncias, anunciou o Nikkei Shimbun.

Aumento de ofertas e queda de desemprego
Houve aumento na oferta de novas vagas em relação à mesma época do ano anterior, em 6,3%. Os setores que mais necessitam contratar são:

  • Indústria da transformação: 14,2%
  • Transporte e entrega de mercadoria: 11,1%
  • Construção civil: 7,6%

De acordo com o boletim do ministério, “vendo a partir de que o setor produtivo relacionado à indústria automotiva está favorável, o número de ofertas de vagas continua em crescimento. O ambiente para as contratações está melhorando e progredindo firmemente”, ressaltou.

Segundo a TBS, o Ministério dos Assuntos Internos e Comunicações anunciou que o relatório da empregabilidade apresentou 03,% de queda no desemprego, no mês passado. Atualmente, o índice é de 2,8%.
Fonte: Portal Mie com NHK, TBS e Nikkei Shimbun